sexta-feira, 26 de junho de 2009

Trânsito, um ciclo perigoso



Eu morro de rir do trânsito. Não dele em si sabe...mas das pessoas. São elas que fazem com que ele fique engraçado. Observe que engraçado nem sempre quer dizer, divertido. Nesse caso, não.
Convivemos em alguns ciclos distintos de pessoas que interagem através do relacionamento de uma pessoa com outra e é nele que expressamos o sentimento, as emoções. Há os relacionamentos de trabalho, de faculdade, o familiar e as amizades. E, observando as pessoas, as suas ações e reações, percebo que o trânsito também é um ciclo de relações, mesmo que você não conheça a maioria dos que estão transitando nas ruas.
O trânsito para alguns é a pista de Jacarépaguá. Ultrapassa aqui, ultrapassa ali, ultrapassa todos os carros que estão na frente, ele tem que chegar primeiro, ser o vencedor, estar no pódio. Esses são os soberbos, os melhores que todos. Mas muitos corredores nesse percurso, capotam os carros, atropelam os que assistem e por ai vai. Só que no trânsito, não há pódio para aquele que dirige mais depressa, que ultrapassa todo mundo tornando aquilo uma competição.
Tem também aqueles que acham ainda estar praticando aula de volante. Meus Deus! Que lentidão. Não que precise dirigir como os do primeiro exemplo, não! Só é preciso ter uma resposta mais rápida. 30/40 km por hora está ótimo.
Há os que acabaram de ser demitidos, os que descobriram que a mulher está traindo, os que acabaram de terminar um namoro...esses estão com vontade de matar ou morrer! Cuidado! Uma ação sua, mal planejada no trânsito e está feito, ele te xinga e acaba com você.
Existem também os bonzinhos. Mas esses quase sempre acabam numa pior. Um que tentou avisar que a porta do outro carro não estava fechada acabou sendo assassinado pelo motorista. É assim...novamente as pessoas provam que não sabem conviver bem nos seus diversos ciclos...não se respeitam e nem respeitam a si próprios. Carregam armas no carro, barras de ferro, armas brancas e pra quê? Para descontar a raiva em alguém que apenas quer chegar em casa logo e tomar um banho depois de um dia cansativo e estressante? Para acabar com a vida daquele que está indo à padaria comprar um leite para seus filhos?
A pressa, a raiva, a soberba...todos nós estamos sujeitos a ter em determinados momentos alguns desses terríveis sentimentos e, no trânsito isso se torna uma arma. Cuidado para não se suicidar e ainda ferir alguns meros coadjuvantes.
Eu continuo a rir...pois a ignorância do ser humano é tão grande que mesmo depois de ler tudo isso...continuamos a cometer os mesmos erros.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Instrospectiva

Sou muito indecisa e desconfio de tudo e de todos. Conservadora, acredito nas coisas as quais desejo, sou confiável, amo escutar o que as pessoas tem a dizer, amo ler, me interesso por tudo, por isso sou curiosa demais. Sou uma pessoa calma, mas que não sei driblar o stress do dia-a-dia. Preocupo-me com o amanhã e as vezes isso me tira o sono. Amo incondicionalmente meu Deus, minha família e meus amigos. Sonhadora sou, eternamente serei. Gosto de desafios que provam a mim mesma a minha capacidade. Tenho o hábito de observar as pessoas, as suas ações, as ações destrutivas quase nunca construtivas, a ignorância, a falta de sabedoria. Não que eu goste do que vejo, mas sinto falta do que não vejo, do que não ouço...a falta de palavras ao receber um gesto de carinho e de amor, um "obrigado", "por favor" são bem-vindos, mas é uma pena que as pessoas se esqueceram dessas palavras... Tenho esperança de um futuro melhor para todo o mundo, principalmente por aqueles que vivem uma vida miserável...esperança de viver num mundo sem vícios, sem preconceitos, sem violência. É engraçado algumas pessoas falarem que não têm preconceito...e ouço a falácia cheia de ignorância de pré-conceito, é possível falar algo de que não conhecemos? De que não vivemos? Não, é impossível...na verdade falam sim e não estão nem um pouco preocupados em quem vão magoar, vão fazer chorar...há muitos corações que sofrem, que choram no silêncio mas que sorri por fora como quem é feliz, mas só precisam do seu estender de mão. Estender a mão não significa que tenha que dar tudo, mas uma palavra de encorajamento pode significar tudo naquele momento. O preconceito não existe somente com os negros, mas também com os pobres, com os imigrantes, com os que tem religião diferente da sua, com culturas...estou cheia de hipócritas que dizem "ah eu não tenho preconceito não" mas passa 3 minutos e estão ali agindo e falando com preconceito. Sou evangélica e ouço coisas engraçadas...GOSPEL não é um ritmo, é um estilo musical de adorar a DEUS, mas dentro dele existe o rock, o samba, o instrumental, o forró, todos os ritmos musicais que você pensar. Agora só porque fala de DEUS, fala de adorar a DEUS, do nosso criador,tem pessoas que mete a boca...porque? É melhor ouvir músicas falando de sexo explícito, de esfregar-se no homem, de traição, de suicídio, de violência, de armas? Deve ser né...o mundo perdeu seus valores...valores como a obediência, a honestidade, o respeito, o senso, o escolher entre bem e o mal...estão indo para o abismo, infelizmente. Estão se auto-destruindo, andando no escuro, às cegas, muitos deles arrastados por outros que também não sabem o caminho. Eu sei o caminho que eu quero seguir, o meu caminho é Jesus, o caminho dele é estreito eu sei, mas no final a recompensa vem e nada melhor do que ser bem recompensado eternamente ao lado de um DEUS que amo e que me ama. Através dos seus ensinamentos hoje posso amar meu próximo, desejar-lhe coisas boas, posso andar em verdade, em novidade de vida, posso perdoar e viver sem mágoas, sem rancor, que é o câncer dessa geração. Em partes, estou aliviada pois não faço parte dela, mas também preocupada com onde isso vai parar...